“Cartas para Gonzaguinha, O Musical” faz curta temporada no Teatro Riachuelo

De 8 a 16 de julho, espetáculo revive o processo de composição do clássico “O que é, o que é?” e pergunta ao público: o que é a vida?

O que é a vida? Gonzaguinha lançou essa enquete ao público na década de 1980 e, com as respostas que recebeu de volta, compôs “O que é, o que é?”. Quarenta anos depois, a pergunta ainda roda, a cabeça ainda agita e o musical “Cartas para Gonzaguinha” traz esse questionamento novamente para o povo brasileiro no palco do Teatro Riachuelo, no Centro, em curta temporada de 8 a 16 de julho, aos sábados e domingos, a partir das 20h.  

O espetáculo, já assistido por mais de 22 mil pessoas e que completa cinco anos, apresenta alguns dos incontáveis sucessos de Gonzaguinha, como “O que é, o que é?”, “Sangrando”, “Explode coração”, “Eu apenas queria que você soubesse”, “Grito de alerta”, “Recado”, e outras canções nunca lançadas pelo homenageado. Em cena, 21 atores e uma banda de arrepiar, sendo uma das instrumentistas Nanan Gonzaga, filha do cantor e neta de Luiz Gonzaga, que também assina a pesquisa de dramaturgia. A direção é de Rafaela Amado. João Bittencourt é o diretor musical e idealizador do projeto. Na atual temporada, a direção musical residente é de Guilherme Borges. O texto é de Tiago Rocha.

– Gonzaguinha fala ao coração do povo brasileiro, e nós esperamos que o público se emocione e cante junto com a gente essas canções tão icônicas – destaca Rafaela Amado.


O que é a vida?

O musical mostra as dores e as delícias de trabalhadores urbanos que ousam sonhar com feijão na mesa e sorriso nos lábios. O ano é 1981 e a retomada da democracia avança lentamente pelo país, ainda sob forte repressão. Mas uma pergunta posta por Gonzaguinha em uma revista tira a classe operária de sua rotina: “O que é a vida?”. As respostas mais criativas podem se tornar versos de uma nova música. Respostas de um povo que sacode a poeira suada da luta e encontra tempo para responder ao chamado do ídolo. Afinal, a vida é bonita, é bonita e é bonita.

– Gonzaguinha era humano. Queremos trazer a simplicidade do olhar dele quando fala das pessoas do cotidiano – pontua João Bittencourt.

Ficha técnica:
Músicas de Luiz Gonzaga Junior (Gonzaguinha)
Direção: Rafaela Amado
Direção musical, arranjos e idealização: João Bittencourt
Direção musical residente: Guilherme Borges
Texto: Tiago Rocha
Pesquisa de dramaturgia: Nanan Gonzaga

Elenco: Marcelo Alvim, Celso Luz, Joana Mendes, Caio Nery, Sarah Plutarcho, José Guerra, Isis Botelho, Luiza Lewicki, Gabi Mello, Luna Kruschewskyh, Paula Sandroni, Matheus Vieira, Carol Pita, Matheus Faissal, Jeff Chagas, Luiz Filipe Carvalho, Malu Cordioli, Laura Canabrava, Ruan Guimarães, Marina Moretzshon, Anderson Rosa

Serviço:

“CARTAS PARA GONZAGUINHA”

Temporada: 8, 9, 15 e 16 de julho, sábados e domingo, às 20h

Local: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio 38/40 – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Telefone: (21) 3554-2934

Ingressos de R$ 30 a R$ 100, vendas na bilheteria do teatro e pela plataforma Sympla (https://bileto.sympla.com.br/event/84178/d/202012)

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 150 minutos (com intervalo de 15 minutos)

Facebook: facebook.com/cartasparagonzaguinhaomusical

Instagram: instagram.com/cartasparagonzaguinhaomusical

Mais informações: https://teatroriachuelorio.com.br/

A Rádio Sem Fronteiras

Deixe um comentário