Conheça o conceito completo e grandioso da obra da banda de Progressive Symphonic Metal, FireWing

Conheça o conceito completo e grandioso da obra da banda de Progressive Symphonic Metal, FireWing

O FireWing é um Universo Musical conceituado em histórias mitológicas e culturais do povo armênio. Caio Kehyayan, guitarrista e fundador desse universo, une forças com grandes músicos espalhados pelo mundo afora que enriquecem a grandiosidade de sua obra.

Depois de sua passagem pela Berklee College of Music, onde se formou em Produção e Engenharia Musical, e de tocar nos principais festivais europeus com a lendária banda de Technical Death Metal, Vital Remains, Caio voltou para casa inspirado para contar a história de seus ancestrais em uma jornada épica e história envolvente. No aclamado “Resurrection”, álbum de estreia de Firewing, ele mostra toda sua capacidade criativa e linguagem única, sendo reconhecido pelos leitores da aclamada revista latino-americana Roadie Crew, como um dos melhores guitarristas brasileiros.

Cada intérprete FireWing – em seus respectivos instrumentos – traz sua essência única para compor a musicalidade deste incrível Universo Musical do gênero Symphonic Progressive Metal.

O vocalista Jota Fortinho, também frontman da banda Age of Capella e da prestigiada banda eslovaca Signum Regis, uniu forças com Caio Kehyayan, interpretando de forma única cada personagem das canções que integram o universo FireWing. Sua extensão, vibratos e diversas articulações vocais, aprimorados ao longo de mais de 25 anos de música, se unem ao virtuosismo das guitarras e às mais diversas camadas que provocam uma imersão aos sentimentos envolvidos nesta belas composições.

As letras de cada uma das quatorze faixas do álbum de estreia da banda, “Resurrection”, unidas, contam uma história complexa. O guitarrista Caio Kehyayan explica como a questão da dualidade luz/escuridão é discorrida no trabalho: “Isso ocorre a partir do momento em que Vishap realiza um ritual sombrio a fim de condensar as almas de todos os seres viventes dentro de um cristal, e assim ter o domínio de toda existência. Aqueles que resistiram são atormentados pelas sombras todas as noites. Os que não conseguiram vencer suas batalhas internas são absorvidos pelo cristal. Quando perdemos para os nossos próprios medos e cedemos à escuridão, podemos ser consumidos por essa energia negativa e nos tornarmos outra pessoa”.

“A ideia de ressurreição é muito conectada ao conceito de eternidade. Basicamente, tudo o que existe no cosmos busca a eternidade, seja a luz ou as trevas. Tudo o que existe quer ser eterno, e Vishap demonstra isso tentando ser mais forte e assim dominar todos os seres desse universo”, complementa.

O outro personagem, Ember, carrega em si outro significado: “Representa o renascimento, a capacidade de se reinventar e evoluir. Porém, para um ser tão puro conseguir ressurgir das cinzas, é necessário um receptáculo que tenha uma essência e aura tão pura quanto o da própria Ember. Para poder se eternizar no mundo e manter seu legado vivo, seu conhecimento e sabedoria são passados através das gerações”. Esta transmissão, por toda  linhagem sanguínea do escolhido, no final direciona a busca pela luz para que se fortaleça e consiga vencer essa batalha. A mensagem é que “No final sempre há esperança”, conclui.

O álbum conta com grandes convidados: Haydée Irizarry (Aversed, Carnivora), Bill Hudson (Northtale / Doro / Trans-Siberian Orchestra) e o cantor Jenn Sakura estão presentes, assim como o virtuoso guitarrista brasileiro Luis Kalil, Raphael Dantas (Soulspell, Ego Absence), Joe Atlan (Pentakill), Fabiano Rodrigues e Ryan Beevers (Unflesh).

Após anunciar seu novo vocalista, Jota Fortinho, lançar uma nova versão para “Time Machine”, faixa do primeiro álbum, e ainda embalados pela excelente repercussão que obtiveram com os shows ao lado do Shamangra e dos finlandeses do Sonata Arctica, a FireWing agora segue repercutindo seu lançamento mais recente, a inédita “Last Gasp”, disponível em todas as plataformas digitais com distribuição pela gravadora alemã, Massacre Records.

“Last Gasp” recebeu um lyric video cinematográfico que pode ser conferido abaixo:

Esta música é uma imersão completa à primeira grande guerra entre os Eons e Vishap, com uma sonoridade diferente de tudo que a FireWing já se propôs a fazer.

O conceito da FireWing está embasado na História e na Mitologia da Armênia e da Grécia, dentro de um universo no qual todas as outras mitologias e culturas distintas também estão inclusas. Em 1915, o povo armênio passou por um grande genocídio conhecido como o “Massacre Armênio”, que deixou mais de 1,5 milhões de mortos.

O ser que personifica a garra do povo armênio após esse Massacre é Vahagn – Rei da grande Armênia da Dinastia Orôntida (século V d.c). Vahagn é um dos filhos de Tigranes Orôntida e sucedeu o seu pai na luta contra dragões (Vishap), sendo conhecido como Vishapakagn – “o Matador de Dragões”. Vahagn livrou a Armênia dos monstros e foi deificado por causa do seu valor, e a FireWing exalta esses valores em todo o desenvolvimento das suas canções.

“Last Gasp” trata da jornada espiritual e mental de seus protagonistas “Vahagn” e seu pai, Tigranes, o Ancião.

Caio Kehyayan comenta sobre a composição: “Minha intenção com essa música é passar uma forte mensagem para toda a Diáspora Armênia. Desde o genocídio milhares de armênios fugiram para cantos distintos do mundo, e atualmente existem mais armênios fora da armênia do que no próprio pais, que se localiza na região do Cáucaso”.

O vocalista Jota Fortinho acrescentou: “Quando o Caio me enviou a música, a primeira coisa que me veio à mente foi um passeio em uma montanha-russa, daquelas gigantes, rsrs. Eu poderia dizer muitas coisas sobre esse tema, pois, além de muito técnico ele é bastante profundo. Posso resumir desta maneira: Last Gasp é um passeio radical em montanha-russa. Estou muito orgulhoso do que fizemos nessa música”.

“Last Gasp” tem produção, letra e orquestrações de Caio Kehyayan, co-produção de Fabiano Rodrigues, com mixagem e masterização por Jack Kosto, artes por Junki Sakuraba e produção do vídeo por Gabby Vessoni. O conceito de criação do mundo é de Caio Kehyayan.

Saiba mais sobre a FireWing através do site www.firewingofficial.com ou pelas suas redes sociais @firewingofficial.

A Rádio Sem Fronteiras

asbrazil

Deixe um comentário