Sucesso de público, “Cartas de Darcy” tem temporada prorrogada na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema

Peça aborda a trajetória de Darcy Ribeiro, um dos maiores intelectuais brasileiros, a partir das memórias de infância de um professor

O que diria Darcy Ribeiro, um dos maiores intelectuais brasileiros do século XX, sobre o Brasil na atualidade? E se pudesse escrever cartas ao povo brasileiro? Essas reflexões são o ponto de partida de “Cartas de Darcy”, peça que acaba de prorrogar sua temporada até 2 de julho na Casa de Cultura Laura Alvim, no Espaço Rogério Cardoso, em Ipanema, com sessões às sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h.

“Cartas de Darcy” é um espetáculo realizado pelo grupo Poeira da História e foi selecionado no edital “100 Anos de Darcy” com patrocínio da Oi, Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro. O espetáculo conta a história de Darcy Ribeiro a partir da sua importante produção intelectual sobre a formação do povo brasileiro, além do que idealizou e realizou para a educação brasileira e sua trajetória política ao lado de Leonel Brizola. Em cena, sua trajetória como professor, etnólogo e político, suas paixões e suas pequenas utopias se mesclam às memórias de infância do ator, professor e historiador Max Oliveira.

– Trazer para a cena suas ideias, suas pesquisas, sua obra, sua profunda inspiração humanística é contribuir para reflexões fundamentais em tempos tão difíceis e conturbados vividos por milhões de brasileiros, em suas vidas cada vez mais precarizadas – destaca Max.

História e memória

Com idealização, dramaturgia e atuação de Max Oliveira, o processo de criação se deu na sala de ensaio através de experimentações cênicas com direção de Carmen Frenzel e supervisão dramatúrgica de Fabrício Branco. O grupo Poeira da História investiga uma concepção cênica e dramatúrgica baseada no teatro documentário e no biodrama para a construção de uma História Pública para e com a plateia, em uma perspectiva historiográfica de autoridade compartilhada. 

O biodrama leva para a cena as memórias familiares de Max Oliveira, atravessadas pelo cenário político, econômico e social das décadas de 1980 e 90. Além da sua rotina como professor de história da rede pública de ensino a partir de 2020, num jogo cênico que mescla memória, história, critical fabulation e autoficção.

Cartas de Darcy tem cenários e figurinos assinados por Oswaldo Eduardo Lioi, iluminação de Hebert Said, pesquisa da antropóloga Daphne Cordeiro e produção de Gaby Freitaz, Max Oliveira e Thiago Prado.

Educação para vencer a desigualdade

Darcy Ribeiro é um dos intelectuais brasileiros mais importantes do século XX. A sua contribuição para a compreensão do que foi a formação do povo brasileiro é inestimável e, sua vivência entre os indígenas produziu um conhecimento de quem esteve dentro e não distante, como costumavam ser os estudos eurocentrados. Darcy foi um antropólogo que conseguiu contribuir para o pensamento intelectual da América Latina. A educação, uma das suas maiores bandeiras, está presente em boa parte dos seus argumentos para a superação da desigualdade social no Brasil.

– É preciso pôr em perspectiva histórica os tempos atuais. É preciso acreditar e ter esperança na transformação através do ‘esperançar’ que é verbo, é ação! Darcy precisa falar novamente ao povo, Darcy precisa escrever suas cartas – ressalta Carmen Frenzel.

Poeira da História

Um dos primeiros passos para o que hoje chamamos de Poeira da História aconteceu em 2017 durante a apresentação no evento Euraxess Science Slam Brazil. Na ocasião, Max Oliveira transformou parte de sua pesquisa de doutorado em uma cena teatral. A proposta era criar uma apresentação criativa e de fácil entendimento para o público em geral. Em 2019 o Poeira da História ganha sua logo atual e inicia um projeto com aulas abertas de história no centro do Rio. Visitando locais históricos da cidade, como a Pequena África, Praça XV, Praça Tiradentes, entre outros locais de memória da cidade.

Em 2020, com o início da pandemia da COVID-19, o primeiro evento online chamado “Patrimônio Cultural: Desafios e possibilidades em São Gonçalo – RJ”, contemplado no edital “Cultura Presente Nas Redes” da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, sobre a importância do Patrimônio Cultural. Em 2021, com patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através do “Edital Retomada Cultural” o primeiro espetáculo online  “O dia em que o Moleque São Gonçalo tropeçou em sua História e se tornou o Rei das Bandas d’Além” sobre a importância dos lugares de memória compartilhada pela população de São Gonçalo.Uma peça sobre a história que está por aí, escondida, esperando que a gente olhe para ela, compreendendo o seu significado, o seu valor. Em 2022 o projeto Poeira da História foi contemplado em mais dois editais: “Cultural Presente nas Redes II” e “Retomada Cultural II”. Desta vez, trabalhos voltados para o audiovisual. No primeiro, uma série de vídeos sobre a relação entre a História Pública e o Teatro Documental para o YouTube. No segundo, a proposta foi falar sobre o bicentenário da independência do Brasil, dialogando com as mais recentes pesquisas históricas e trazendo a noção de Independências no plural. Destacando a relevância que tiveram as populações negra, indígena, as mulheres, os pobres, para o processo de independência do Brasil. Populações que foram historicamente excluídas.

Poeira da História foi contemplado também por um edital da cidade de São Gonçalo voltado para coletivos da cidade que durante a pandemia não podiam exercer suas atividades. Com isso, Poeira da História foi selecionado em seis editais públicos de fomento à cultura do Estado do Rio de Janeiro em três anos e meio de atividades. O grupo completa quatro anos de atividades em 15 de outubro de 2023, no Dia do Professor, Dia da Professora, dia em que homenageamos educadores de todo o Brasil. Dia também do Poeira da História.

Ficha técnica:

Idealização, Dramaturgia e Atuação: Max Oliveira

Direção: Carmen Frenzel

Supervisão de Dramaturgia: Fabrício Branco

Direção de Arte: Oswaldo Eduardo Lioi

Iluminação: Hebert Said

Preparação Vocal: Brena Marinho

Trilha Sonora: Carmen Frenzel e Max Oliveira

Designer Gráfico: Thiago Ristow

Pesquisa: Daphne Cordeiro

Editor Multimídia e fotos: Guilherme Bezerra

Assessoria de Imprensa: Carlos Pinho 

Mídias Sociais: Lucas Gouvea

Produção: Max Oliveira, Gaby Freitaz e Thiago Prado 

Realização: Poeira da História

Serviço:

Espetáculo: “Cartas de Darcy”

Temporada: até 2 de julho de 2023 

Dias e horários: sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h

Local: Casa de Cultura Laura Alvim – Espaço Rogério Cardoso

End.: Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema – Rio de Janeiro 

Duração: 70 minutos

Classificação etária indicativa: 12 anos

Valor: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Ingresso online: Eleventickets (https://funarj.eleventickets.com/#!/home)

A Rádio Sem Fronteiras

Deixe um comentário