Talking Heads recusou 80 milhões de dólares para retornar ao palcos, diz Billboard

Uma das bandas que melhor representam a década de 1980, o Talking Heads anunciou no final do ano passado o lançamento da restauração em 4K de seu icônico filme-concerto Stop Making Sense, de 1984. Então, os quatro integrantes do grupo, David Byrne, Chris Frantz, Tina Weymouth e Jerry Harrison, se reuniram para o anúncio e voltaram a aparecer juntos no The Late Show, do canal americano CBS. Na ocasião, a entrevista deles viralizou porque se recusaram a fazer uma performance musical ao vivo.

De acordo com a Billboard, a negativa dos artistas em se reunirem para fazer um som não impediu que eles recebessem convites para uma reunião. O site da revista americana revelou que a gigante de shows Live Nation “disse ao Talking Heads que estava disposta a pagar à banda US$ 80 milhões (quase R$ 400 milhões) para encabeçar de seis a oito shows em festivais”.

Essa oferta veio na esteira de uma tentativa semelhante da produtora Goldenvoice, que queria fazer com que o lendário grupo se reunisse este ano no festival de Coachella, na Califórnia.

A última vez que o Talking Heads fez um showzinho foi em 18 de março de 2002 durante a cerimônia de sua introdução no Rock & Roll Hall of Fame, quando eles executaram quatro músicas: “Psycho Killer”, “Life During Wartime”, “Burning Down the House” e “Take Me to the River” (cover do Al Green).

A Rádio Sem Fronteiras

Deixe um comentário