Magma Velvo lança a canção-reverência ao poder do povo afrobrasileiro “Aquilombados Exusiásticos”

Magma Velvo lança a canção-reverência ao poder do povo afrobrasileiro “Aquilombados Exusiásticos”

“Aquilombados Exusiásticos” é uma canção-reverência ao poder do povo afrobrasileiro através, sobretudo, do feminino, do corpo e do seu movimento com o universo, do ritmo e da memória das conquistas gloriosas e das dores incessantes. É a celebração da conexão entre o som e a alma. O sonho de liberdade e a luta contra a intolerância que veio desde Zumbi à Abdias, de Dandara à Marielle.

O contemporâneo e o ancestral amalgamados no Axé dos Orixás propagados nas notas etéreas do mais novo lançamento do Magma Velvo. Ouça Aquilombados Exusiásticos: 

Sobre Magma Velvo

Nós somos o Magma Velvo! Nós quem? Todo o mundo e nenhum mundo. Eu e tu. O pai e o filho. O santo e o profano. É o preenchimento e o vazio. A unidade e o devir. O “in” e o “iângue”. O sublime e a baixaria. É a castidade e a sacanagem. O Magma Velvo é tudo e não é nada. O Magma foi, é, e será. Esteve presente nas primitivas manifestações do “Om”. O Velvo foi o monólito inspirador dos primeiros batuques feitos com ossos; esteve presente no antigo Iraque, na concepção do Hino Hurrita; está nas cantigas das crianças e nas lamentações dos adultos; Magma Velvo é a Marselhesa dos Jacobinos, o banzo sonoro dos pretos catadores de algodão do Mississipi, é a tradição de Donga e Cartola, a guitarra punk, distorcida e “desafinada”. O Élan magmático hoje, no século 21 da era comum, está em Jorge Magalha e “Araquem?”, e pode ser apropriado e encarnado em qualquer coisa ou qualquer um.

Ficha técnica: Participação Especial: Ju Santana (@jusantanamusic) Direção e Produção: Jorge Magalha Assistente de Direção e Coreografia: Macário (@cinemacario) Direção de Arte e Figurino: Fernanda Luiz (@luizfernanda102) Câmera: Tiago Nascimento: (@cineasta021) Maquiagem: Carol Jaya (@carol.jaya) Edição e Montagem: Belarmino (@elbelarmino) Elenco: Ju Santana, Macário e Fernanda Luiz Still: Araquem?.

A Rádio Sem Fronteiras

asbrazil

Deixe um comentário