Protomartyr Revela o Telethon The Marty Singer

Protomartyr Revela o Telethon The Marty Singer
O quarteto pós-punk de Detroit Protomartyrlançou seu aguardado novo álbum, Formal Growth In The Desert. Depois de compartilhar o single final “Polacrilex Kid” no início da semana passada, a banda revelou o The Marty Singer Telethon (O Teleton De Marty Singer) na íntegra. Remetendo aos tempos áureos da televisão aberta, o Teleton é apresentado pelo inimitável Marty Singer (que os fãs do Protomartyr talvez reconheçam do vídeo “Processed By The Boys”) e Sarah McMahon. Além de “Polacrilex Kid”, o programa apresenta performances no estúdio dos destaques do Formal Growth In The Desert, “Fun In Hi Skool” e “3800 Tigers“, e mostra outros artistas incríveis, como Stoney Sharp, o lutador, a equipe de dança do Mt. Sinai Hospital e muito mais.
Assista The Marty Singer Telethon aqui.
“Polacrilex Kid” deriva do nome químico do chiclete de nicotina, algo a que o vocalista Joe Casey se refere como um “amigo indesejado que conheci desde que comecei a parar de fumar/começar a fumar novamente“. Na essência da música, ela se aprofunda em um material temático que não é desconhecido no repertório do Protomartyr: você pode odiar a si mesmo e ainda assim merecer o amor? A distorcida “Fun in Hi Skool” é um single anti-nostalgia, enquanto “3800 Tigers” se refere ao número estimado de tigres selvagens na Terra e especula como seria o time de beisebol amado de Casey, o Detroit Tigers, no ano 3800.
O sexto álbum do Protomartyr, Formal Growth In The Desert, foi gravado no Sonic Ranch em Tornillo, Texas. Embora Casey tenha tido uma experiência humilhante ao olhar para as impressionantes formações rochosas de Sonoran e ao reconhecer sua própria pequenez no esquema das coisas, o sexto álbum do grupo não é necessariamente uma homenagem às extensões arenosas do sudoeste. Formal Growth In The Desert prova que Detroit também é como um deserto. “O deserto é mais uma metáfora ou um símbolo”,diz Casey, “de desertos emocionais, ou de um lugar ou época que parece não ter vida”.
 
The “growth” (o crescimento) veio de um período de transição colossal para Casey, incluindo a morte de sua mãe, que lutou contra o mal de Alzheimer por uma década e meia. Agora com 45 anos, Casey havia morado na casa da família no noroeste de Detroit durante toda a sua vida. Em 2021, porém, uma série de roubos repetidos sinalizou que era hora de finalmente se mudar. A música de Protomartyr – ajudou Casey a se reerguer. “O fato da banda ainda ser viável era muito importante para mim“, acrescenta Casey, “e isso definitivamente levantou meu ânimo.
 
Tendo atuado por muito tempo como diretor musical não oficial do Protomartyr, o guitarrista Greg Ahee co-produziu Formal Growth In The Desert ao lado de Jake Aron (Snail Mail, L’Rain). Ahee sabia pelo que Casey estava passando e os desafios que ele estava enfrentando e, enquanto Ahee conceituava a música, pensou em como fazer tudo “como um filme narrativo”. A sensibilidade cinematográfica também se manifesta na narrativa de Casey, quer ele esteja criticando o sinistro tecnocapitalismo ou processando o envelhecimento, o futuro e a possibilidade do amor.
 
Protomartyr se tornou sinônimo de montagens cáusticas e impressionistas de política e poesia, o literal e o oblíquo. Casey descreve o tema subjacente de Formal Growth In The Desert como um testamento de 12 músicas para “continuar com a vida“, mesmo quando ela parece impossivelmente difícil.

Marketing e Promoção no Brasil:
ForMusic – info@formusic.com.br

Informações à imprensa:
Catto Comunicação
Simone Catto – simone.catto@gmail.com

A Rádio Sem Fronteiras

asbrazil

Deixe um comentário